06/02/12

Sistema Urinário


Após a nossa digestão, as substâncias absorvidas participam de inúmeros processos para que o corpo possa “aproveitar” todos os nutrientes.
Os resíduos do metabolismo são eliminados pelo sistema urinário e isso acontece no mesmo ritmo com que as substâncias se formam ou ingressam no organismo. Além dos resíduos, água e sais minerais são eliminados também.


Para que haja um equilíbrio do organismo, a quantidade total de água deve ser mantida constante.






O trato urinário inferior é composto pela uretra, colo vesical e bexiga.

Partes do sistema urinário:

RIM

Os rins são órgãos pares, em forma de grão de feijão, No adulto, o rim tem cerca de 11 a 13 cm de comprimento, 5 a 7,5 cm de largura, 2,5 a 3 cm de espessura, com aproximadamente 125 a 170 gramas no homem e 115 a 155 gramas na mulher., localizados logo acima da cintura, entre o peritônio e a parede posterior do abdome. Existe um rim em cada lado da coluna, e a cima de cada rim encontramos a glândula adrenal. Tem uma coloração vermelho - parda.



Estão, aproximadamente, no mesmo nível que as vértebras T12 a L3, sendo que o rim direito localiza-se um pouco mais inferiormente que o esquerdo (em crises de dores renais os pacientes apontam à região da coluna próxima a região lombar). 


Realizam o trabalho principal do sistema urinário, com as outras partes do sistema atuando, principalmente, como vias de passagem e áreas de armazenamento.

Os rins são supridos pela artéria renal, que se origina da aorta. A artéria renal divide-se no hilo em um ramo anterior e um ramo posterior. Estes se dividem em várias artérias segmentares que irão irrigar vários segmentos do rim. Essas artérias, por sua vez, dão origem às artérias interlobares, que na junção córtico-medular dividem-se para formar as artérias arqueadas e, posteriormente as artérias interlobulares. Dessas artérias surgem as arteríolas aferentes, as quais sofrem divisão formando os capilares dos glomérulos, que em seguida, confluem-se para forma a arteríola eferente. A arteríola eferente dá origem aos capilares peritubulares e as arteríolas retas, responsáveis pelo suprimento arterial da medula renal.

Explicando:

O néfrom é a unidade anatomo - fisiológica do rim, é nele que a urina é elaborada.
Com filtração do sangue e a formação da urina, os rins contribuem para a homeostasia dos líquidos do corpo. Filtram dejetos (especialmente uréia) do sangue e os excretam, com água, na urina.


URETER
São dois tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga.

A urina se move ao longo dos ureteres em resposta à gravidade e ao peristaltismo (contração).



Bexiga
É um órgão muscular oco, elástico que, nos homens situa-se diretamente anterior ao reto e, nas mulheres está à frente da vagina.

Um reservatório temporário para o armazenamento da urina.


Quando vazia, a bexiga está localizada inferiormente ao peritônio e posteriormente à sínfise púbica: quando cheia, ela se eleva para a cavidade abdominal. A forma da bexiga depende de quanta urina ela contém.

Quando vazia, ela parece um balão vazio, tornando-se esférica quando levemente distendida à medida que o volume urinário aumenta.
A capacidade média de armazenamento da bexiga urinária é de 700 a 800 ml de urina. 
 O músculo da bexiga é enervado, predominantemente por fibras parasimpaticas eferentes, quando são estimulados se contraem e facilitando o esvaziamento (fazer “xixi”).
A bexiga consegue armazenar quantidades crescentes de urina em seu interior sem variações significativas. Nesta fase o músculo detrusos está em repouso, momento em que está relaxado e entra na fase de enchimento da bexiga.

O enchimento da bexiga ocorre lentamente e vai distendendo sua parede de maneira que as fibras do nervo sensitivo transmitem sinais para a medula epinhal. Esse sinal será transmitido ao cérebro, dando a sensação e consciência da bexiga cheia. O cérebro por sua vez, envia sinais de resposta à bexiga através da medula espinhal e ao esfíncter externo através do nervo periférico “pudendo”, para que ele se relaxe (isso acontece de forma voluntária).
Isso acontece de forma sincronizada, conhecida como micção sinérgica. Com isso, em condições normais, quando a bexiga se contrai , o esfíncter relaxa e vice-versa.

Descrição de indivíduos fisiologicamente sadios.


URETRA
A uretra é um tubo que conduz a urina da bexiga para o meio externo. No sexo feminino, a uretra é exclusiva do sistema urinário. É tubo de 3 cm a 4 cm de comprimento. Próximo à sua abertura, no exterior, a uretra feminina possui fibras musculares de músculo estriado. 

As fibras deste músculo são principalmente as do tipo I*, sendo responsáveis pela capacidade de manutenção da continência urinária em cerca de 50% das mulheres continentes com colo vesical incompetente. Além disso, a ocorrência de incontinência urinária de esforço após vulvectomia radical é explicada pela remoção da uretra distal, contendo os músculos: compressor uretral e esfíncter uretro-vaginal.


Seu óstio externo localiza-se anteriormente à vagina e entre os lábios menores.



* Ou seja, as fibras do tipo I são fibras de contração lenta e dificilmente fadigam por isso conseguem manter a pressão interna nas paredes da uretra.



A ilustração abaixo demonstra a disposição dos órgãos no corpo feminino:




Beijinhos
Até Mais!





Texto baseado nas seguintes literaturas:

♀ NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

 Junqueira JCU e Carneiro J. Histologia Básica, Guanabara Koogan, 2004.

♀ http://www.uroginecologia.com.br/index/?q=node/7


Aprendizado das aulas da professora Leandra Monteiro de Paiva Oliva